terça-feira, 12 de julho de 2011

No curso da Vida

No curso da longa e pedregosa estrada do labor humano pode-se chegar ao cume da montanha da liberdade que os raios do sol doiram de claridade e de luz. Muitos de nós tropeçaram  por essa estrada. Existem todavia, um atalho mais ou menos através dos terrenos do retiro calmo e da contemplação divina, e que é conhecido das poucas grandes almas deste mundo. Não nos falta o poder de quebramos as cadeias, o que nos falta são a coragem, o garbo, a habilidade e a tenacidade. Nenhum agente externo é capaz de nos impedir, nenhum homem é capaz de nos escravizar; somos julgados pelos nossos próprios preconceitos, condenados pela nossa própria ignorância.
Ninguém é senhor de nós senão aquilo em que o senhor de si mesmo, e as correntes que arrastamos conosco são justamente aquelas que havemos ajustado ás nossas próprias limitações. E, ao apercebermo-nos desta realidade, convertemos em força e protesto que sentimos na alma.
A.M.

Reações:

0 comentários: