terça-feira, 22 de janeiro de 2013


Camamu: prefeito “foge” e mais de 700 funcionários ficam sem salários


Por: Adelia Felix (Twitter: @adelia_felix) - 22 de Janeiro de 2013 - 13h35
  • 0
Terra de ninguém, assim pode ser definida a cidade de Camamu, no sul Bahia, que foi surpreendida com a suposta fuga do prefeito Américo José da Silva (PSD), que teria levado recursos públicos da ordem de R$ 4,7 milhões referentes a saúde, educação e obras.

Para o procurador do município, Valmário Bernardes, a notícia da “fuga” teria surgido após uma denúncia feita por Ioná Queiroz Nascimento (PT). “Américo fez contrato com uma Oscip para gerir pessoal no valor de R$ 4,7 milhões e o fato foi denunciado durante campanha eleitoral em outubro do ano passado. O processo ainda corre na Justiça e quem cuida do caso é o juiz da 78ª Vara, João Paulo Guimarães Neto”.

Ao Bocão News, o procurador disse que não tem como esclarecer ainda a “fuga” por conta da falta de documentos que comprovem a irregularidade. “A gente não tem como prestar esclarecimento. O prazo para prestar as contas é até o dia 31 de janeiro. É leviano tecer informação sem qualquer documento em mãos”, esclareceu.

No entanto, ainda em conversa com a reportagem, Bernardes esclareceu que funcionários não receberam o salário de dezembro nem o 13º. “Muitos funcionários da educação, saúde administração ficaram sem receber o salário de dezembro e o 13º. Só foram pagos alguns dos trabalhadores de cargos de confiança e da administração. No total, mais de 700 pessoas não receberam salários”.

Após cassação de Ioná Queiroz, Américo assumiu o cargo de prefeito em junho do ano passado. Quem assumiu a prefeitura da cidade foi o presidente da Câmara de Vereadores, Edinaldo Souza, que aguarda até o final do mês, quando Américo deve prestar as contas, para entrar com uma ação no Ministério Público do Estado (MPE) sobre a verba. A reportagem entrou em contato com Edinaldo, mas o mesmo não quis comentar o assunto.

A nova eleição para escolha do prefeito e vice-prefeito de Camamu será realizada no dia 3 de março, segundo decisão do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA). Disputam o pleito seis candidatos: Luiz Oliveira da Luz, da coligação Trabalho e Compromisso; Noélia Maria Nascimento da Silva, da coligação Camamu em Boas Mãos; Emiliana Assunção Santos, da coligação A Grande Esperança e Francisco Vasconcelos da coligação Por Amor a Camamu. E lançam candidatura individual Gilmar do Sindicato (Psol) e Deroakson Mattos Rocha, pelo PHS.

Reações:

0 comentários: