quinta-feira, 14 de março de 2013

DENUNCIA: Homem morre ao tocar em cerca eletrificada no manguezal do Baixão do Guaí, distrito de Maragogipe

Blog do Zevaldo

Acabamos de receber a seguinte denuncia que publicaremos na íntegra, pois acreditamos que a justiça deve ser feita. Chega de impunidade, um pescador morreu de uma forma trágica!! Clamamos por justiça.



O aposentado José Ribeiro dos Santos, 74 anos de idade, faleceu ao tocar numa cerca eletrificada dentro do manguezal. O fato aconteceu no dia 14/02/2013, por volta das 16 horas, na localidade do Baixão do Guaí, município de Maragogipe.

A área onde aconteceu o crime é reconhecida como remanescente de quilombo pela Fundação Cultural Palmares e está com o processo de regularização paralisado desde 2006, devido a interferência de grandes empreiteiras que cobiçam o território dos pescadores. Também, trata-se de uma unidade de conservação federal de uso sustentável, integrando a Reserva Extrativista Baía do Iguape, gerida pelo ICMBio que tem sido omisso diante das várias denúncias realizadas pelos pescadores da região.

Pescava dentro do manguezal acompanhado de 6 companheiros que testemunharam a tragédia. Bartolomeu, um de seus companheiros de pescaria, tentou acudi-lo e também foi afetado pela descarga elétrica que lhe deixou graves sequelas. Alex, que também o acompanhava na pescaria, teve a ideia de chutar sua mão e só assim conseguiu desgarrá-la da cerca, porém o mesmo não resistiu e morreu instantaneamente. Foi carregado pelos companheiros para fora do manguezal até a beira da estrada onde o corpo permaneceu até ser conduzido para o Instituto Médico Legal de Santo Antônio de Jesus. No atestado de óbito está registrado: parada cardiorespiratória provocada por descarga elétrica industrial.

A vítima habitava na comunidade do Retiro, zona rural do Município de São Felipe, próximo do município de Maragojipe. Além dos amigos e familiares, deixou dois filhos, sendo que o mais novo tem apenas 13 anos de idade. A família e os numerosos amigos estão inconformados com esta crueldade. Os pescadores da região clamam por justiça!

Salientamos que não se trata de um caso isolado. Depois das negociações escusas entre governo do estado da Bahia e as empreiteiras OAS e ODEBRECHT, parte da Reserva Extrativista do Iguape foi suprimida e a especulação imobiliária tem sido cada vez mais violenta. As cercas no manguezal e nas restingas podem ser vistas em todas as áreas da RESEX do Iguape. Os pescadores já acionaram o IBAMA, INEMA e ICMBio mas estes órgãos se omitem configurando a situação como racismo institucional.

Reações:

0 comentários: