quinta-feira, 14 de março de 2013

Prefeitura de Maragogipe emite nota: Ex-Secretário desmente denúncia caluniosa em depoimento ao MP


A prefeitura de Maragogipe acaba de emitir nota no seu site falando sobre o pronunciamento do ex-secretário municipal de Educação Arivaldo Vieira, intitulado "Ex-Secretário desmente denúncia caluniosa em depoimento ao MP"


O Ministério Público encaminhou o depoimento do ex-secretário ao Vereador Renato José de Santana, Presidente da Comissão de Justiça e Redação que apurava o caso. Segundo o Vereador, depois dessas declarações, por falta de provas vai pedir o arquivamento do inquérito.



Confira a nota na íntegra:
Uma carta aberta divulgada no dia 16/02 deste ano causou uma verdadeira ebulição em Maragojipe assim que foi publicada num blog da cidade.

“Fui nomeado por força de um acordo político com características de aliciamento e compra de votos que vou denunciar”.

Essa frase, dita pelo ex-secretário de Educação exonerado por irregularidades, foi o que levou o caso ao Ministério Público.

O Governo Municipal se pronunciou a época e emitiu uma nota pública onde deixou claro que as denúncias não tinham fundamento. Veja um trecho abaixo:

“Com relação às absurdas denúncias de época de campanha, como compra de voto e demais ofensas aleatórias, cabe à interpretação de quem lê, afinal, elas advém daquele que foi o Coordenador da campanha que elegeu a atual gestora Vera da Saúde.

O próprio Sr. Arivaldo Vieira, inclusive, na condição de Coordenador, esteve todo o tempo inserido na administração dos recursos financeiros utilizados em Campanha, o que, obrigatoriamente, caracteriza esse tipo de denúncia como auto-imputação.

Para a Administração, ficou claro que o ataque desenfreado do ex-secretário foi motivado pelo calor da emoção e pela frustração de se ver destituído do cargo que ocupou.”

Esse último parágrafo ele confirma claramente no depoimento ao MP: “o declarante foi surpreendido com sua exoneração... e ficou indignado com seu desligamento da pasta...” “... embora o declarante tenha conhecimento que é fato natural a nomeação e exoneração de pessoas indicadas para exercer cargos de confiança e direção...”


Nesse trecho do depoimento, é possível perceber que o ex-secretário foi motivado pela insatisfação para encaminhar a carta aberta à publicação, e movido pela raiva fez denúncias infundadas.

A parte mais importante do depoimento é quando ele afirma que não houve compra de votos: “o declarante nunca recebeu determinação da candidata para comprar esse ou aquele voto mediante dinheiro ou até promessas de pagamento com ganhos auferidos a frente da Prefeitura, nunca aconteceu do declarante sair com dinheiro em mãos ou com lista de favores para obtenção de voto”.


O MP encaminhou o depoimento do ex-secretário ao Vereador Renato José de Santana, Presidente da Comissão de Justiça e Redação que apurava o caso. Segundo o Vereador, depois dessas declarações, por falta de provas vai pedir o arquivamento do inquérito.

Ascom / Maragojipe

Reações:

0 comentários: