domingo, 14 de abril de 2013

CONVITE: 1º ano sem Rita e Priscila Medina e a 1ª MMMM (Marcha pelas Mulheres Mortas em Maragojipe).


         
“ Toda mulher tem direito a uma   vida livre    de violência ”
A família Medina convida a  população maragojipana, a sociedade civil, autoridades competentes, homens e mulheres a participar da grande MMMM (Marcha pelas Mulheres Mortas em Maragojipe).

Dia 18 de abril
Horário- 8:30                       Local: Correto da Praça

 “Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece. O que a memória ama fica eterno” (Rubem Alves)

                 Diante da situação vivenciada por toda família Medina e com a plena consciência que este tipo de violência não tem início nem se encerra no caso de Rita e Priscila Medina, faz-se necessário nos movimentarmos em favor da JUSTIÇA e contra todo tipo  de violência, dizendo basta, indignando-se com a impunidade e não permitindo que o medo nos acovarde e nos impeça de exercer plenamente a cidadania.
Devemos enquanto cidadãos assumir uma postura firme, participativa, sem naturalizar os fatos, pois, QUANDO O HOMEM BATE NA MULHER, MACHUCA A FAMÍLIA TODA.  Imagine quando resulta na morte de mulheres, fere fatalmente a sociedade. Herbert, Betinho afirma que:
 o cidadão é o indivíduo que tem consciência de seus direitos e deveres e participa ativamente de todas as questões da sociedade. Tudo o que acontece no mundo seja no meu País, na minha cidade, no meu bairro, acontece comigo. Então eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida. Um cidadão com o sentimento ético forte e consciência da cidadania não deixa passar nada,  não abre mão deste poder de participação. Independentemente de cor, credo, raça, sexo, partido político, posição social, ou cargos que ocupa.
PROGRAMAÇÃO

Dia 18 de abril de 2013
8:30- Oração Ecumênica, será apresentado um musical cantado pelas mulheres da família.

9:00- Marcha pelas Mulheres Mortas em Maragogipe

1.         Porta do Fórum
2.         Passa pela passarela
3.         Segue para o local onde ocorreu o crime (Beco da Baiuca)
4.         Encerramento (Praça do Floresta, onde os corpos foram velados)
5.         Segue para o cemitério a família e os que desejarem, para depositar sobre os seus túmulos flores.
Ao longo da caminhada serão distribuídos folders informativos sobre a Lei Maria da Penha, o disque denúncia, haverá faixas educativas, informativas e de protesto.
1ª ano sem Rita e Priscila.





 “NÃO SABEMOS POR QUE VOCÊS SE FORAM, QUANTAS SAUDADES NÓS SENTIMOS...”

RITA MEDINA Nasceu em 27/04/ 1966 e morreu em 18/04/2012
PRISCILA MEDINA Nasceu  em 20/11/1991e morreu em 18/04/2012
      
“ Toda mulher tem direito a uma   vida livre de violência ”





“Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece. O que a memória ama fica eterno”
(Rubem Alves)


         
       Apresentação

O dia 18 de abril de 2012 foi marcado pela tragédia ocorrida na família MEDINA, decorrente do ASSASSINATO de Rita de Cássia Medina da Silva e sua única filha Antônia Priscila Medina da Silva. O crime foi cometido pelo companheiro e pai biológico das vítimas em sua residência por volta de00:30. O ocorrido se deu após longa discussão que chamou atenção da vizinhança do Bairro da Boiada no Beco da Baiuca.
Após acionar insistentemente a polícia, contato feito por moradores do bairro  sendo o policial de Plantão Sr. MIZAEL daquela noite não deu a devida importância à denúncia e diante da insistência dos moradores o mesmo disse que voltasse a ligar quando morresse um. Mãe e filha foram cruelmente assassinadas. Rita levou 9 golpes de faca e Priscila 06, vindo a óbito a caminho do  hospital. Quanto à Rita quando conseguiu sair da casa, caiu estirada no chão duas casas após a sua, sem vida .Vindo a óbito sem chance de socorro, como assim suplicava a sua filha: eu não quero morrer, salve a minha mãe, não deixe ela morrer.(PRISCILA, 18/04/2012.) últimas palavras nos braços da vizinha.                
   Justificativa

Diante da situação vivenciada por toda família Medina e com a plena consciência que este tipo de violência não tem início nem se encerra no caso de Rita e Priscila Medina,
faz-se necessário nos movimentarmos em favor da JUSTIÇA e contra todo tipo  de violência, dizendo basta, indignando-se com a impunidade e não permitindo que o medo nos acovarde e nos impeça de exercer plenamente a cidadania.

  Objetivos:

•          Honrar as vidas de Rita e Priscila numa homenagem póstuma
•          Conscientizar a população da importância de não se calar diante da injustiça e da violência
•          Mostrar a nossa indignação com a violência doméstica e familiar
•          Chamar atenção das autoridades competentes para o cumprimento da Lei.
•          Lembrar in memória as outras vítimas assassinadas também em 2012, D. Maria da Paixão do Baixão do Guaí e Marilene do Brinco.
     Conclusão

Devemos enquanto cidadãos assumir uma postura firme, participativa, sem naturalizar os fatos  ,pois, QUANDO O HOMEM BATE NA MULHER, MACHUCA A FAMÍLIA TODA.  Imagine quando resulta na morte de mulheres, fere fatalmente a sociedade .
Herbert, Betinho afirma que: O cidadão é o indivíduo que tem consciência de seus direitos e deveres e participa ativamente de todas as questões da sociedade.
 Tudo o que acontece no mundo seja no meu País, na minha cidade, no meu bairro, acontece comigo. Então eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida .
Um cidadão com o sentimento ético forte e consciência da cidadania não deixa passar nada ,  não abre mão deste poder de participação. Independentemente de cor, credo, raça ,sexo, partido político, posição social, ou cargos que ocupa.

Reações:

0 comentários: